domingo, 15 de maio de 2011

QUOTIDIANO

Tu permites que eu vá
mas também me reténs
tentando seguir a minha falta

Imaginas que fujo enquanto me tens
e supões-me estar perto
quando afinal já parto

Tu ficas atento, inventas passagens
contas pelos dedos
tudo aquilo que faço

E quando me disfarço fechas os olhos
àquilo que importa

Finges que não sabes
abres a janela e trancas-me a porta


Maria Teresa Horta


3 comentários:

  1. Hoje
    Venho expressamente deixar um beijo e agradecer o carinho pelo aniversário do Zé António


    BEIJO

    ResponderEliminar
  2. Simplesmente belo. Retrata muito bem o dilema que é quando existem incompatibilidades no amor.

    Beijinho

    Vieira MCM

    ResponderEliminar