sexta-feira, 3 de agosto de 2012

POESIA

Mãos que se tocam
e se encontram
numa cidade que não é minha.
Encontro-te no toque.
Pressinto-te.
A noite apresenta-se com rosas e roxos.
É a hora ambígua das almas em comunhão.
E passeio-me em ti, como na minha cidade
que desconheço onde é.


Perco-me
Não conheço a tua geografia, apenas a intuo.
É uma viagem infinita, nos caminhos do outro.
Não tem nortes ou suis
apenas pontes que atravesso.


Nos sons de Bach
Reconheço-te.




Maria Teresa Mota







2 comentários:

  1. Saudades de ti
    um beijo e espreita o meu blogue Dedais da Lili





    Batuque
    Noite estrelada...
    Ao redor da fogueira
    Nós cantamos
    Sentimos
    E ouvimos...

    O som do batuque...
    E sabemos
    Que este som

    É África...
    É loucura...
    É vida...

    E nós
    Olhamos
    Vivemos
    E sentimos
    O som do batuque
    Dentro de nós...

    E temos a certeza
    Que esta África
    Que tanto nos dói
    Nunca nos deixará
    Ser totalmente livres
    E sempre
    Nos aprisionará...

    LILI LARANJO


    ResponderEliminar